quinta-feira, 9 de dezembro de 2010

Morte

A morte

Na solidão via a morte com sua face fria
Estava parada, com seus olhos voltados na minha direção
Seu vestido longo se confundia com a noite
Então seus lábios abriram-se entoando uma canção
Era uma canção triste, mas que me encantava
Sua voz doce percorria em meus ouvidos
Via na minha frente à mulher mais inocente
Que estava despertando toda minha volúpia ao som de sua musica fúnebre
Deparei-me, naquele momento com os braços estendidos
Ela se curvou graciosamente, aceitando a dança que eu proporá sem perceber
Começamos a deslizar sobre o quarto
Sentia minhas forças se esvaindo, mas não queria parar
Não podia parar, estava totalmente envolvido com ela, que parecia mais bela
E vigorosa a cada passo que dávamos.
Então a ultima coisa que senti
Foi seu doce abraço e seu beijo
Nisso Fui a um sono eterno de onde não mais acordei.



Este é um antigo texto meu, que escrevi inspirado em uma personagen da HQ,Sandman (obra de arte falar a verdade). Personagem bem carismatica e com isso quebra o conceiro daquela morte fria e maldosa, mas faz ver que a morte não é tão ruim assim. Principalmente para quem sabem para onde vai depois. Reflita um pouco nela, afinal qualquer dia nos iremos encontrar com ela. E bom estarmos prontos para esse dia.

Nenhum comentário: