segunda-feira, 15 de agosto de 2011

o comodismo da enganação.


Neste ultimo sábado para o domingo, eu reassistir a trilogia Matrix, e agora estava refletindo um pouco em algumas das inúmeras questões apontadas no filme e me lembrei de uma inquietante.
A questão é sobre a Verdade. Bem em diante tem o spolier que revela a trama quase central do primeiro filme. Não sei se vocês lembram, do personagem Cypher, bem ele tem um dialogo com o principal, onde ele se pergunta por que não tomou a pílula azul (ou seja permanecer na ignorância) em vez da vermelha (conhecer a verdade), depois ele trai seus amigos para voltar a ignorância, (voltar para a matrix e ter as memorias apagadas) .
Então estive pensando, muitas vezes não queremos enfrentar a verdade, ela muitas das vezes não nos é conveniente, ou de fácil aceitação que chegamos a preferir muitas vezes viver uma vida de mentiras ou nos enganarmos para manter uma falsa felicidade.
Mas o que é melhor a verdade ou a mentira, infelizmente concluir que dependerá se você é forte o suficiente para aguentar a verdade, pois muitas vezes você ouve a verdade, mas a ignora, ou até mesmo se desmorona para não enfrentar a realidade. Já o outro grupo de pessoas tentam mudar a realidade, não maquia-la mas transforma-la, enfrentar de peito aberto. Não digo pois que será fácil, pois seus conflitos serão, não no mundo físico, mas na sua própria mente. Faça esse auto teste, pare umas horas e apenas pense nos seus problemas, colocando-os em frente a verdade, veja-os em todos os ângulos e as verdadeiras causas, talvez ganhe uma incrível dor de cabeça, mas saiba que estarás no caminho certo de resolve-los. E não deixe para mais tarde, não descanse até resolve-los

sexta-feira, 12 de agosto de 2011

O por que da minha profissão.

Nesse período sem aulas e acabei caindo em uma crise de identidade, meio que comecei a esquecer quem eu era verdadeiramente (não meus amigos, não falo de memorias, elas continuas intactas). Prosseguindo, acabei me questionando se valeria mesmo a pena seguir a carreira de Professor, depois de escutar tantos argumentos e coisas que baixam a auto-imagem do cara. Do tipo o salário é baixo, terei que me matar para sobreviver, que me decepcionarei tentar mudar a realidade da sala de aula.
Mas no final, e aos poucos venho recuperando minha identidade, como Professor de geografia, Cristão e Anarquista(até a ideologia estava enfraquecendo).

Creio eu ter escolhido a melhor e mais valorosa das profissões, conheço as teorias que podem dizer que não sirvo para nada e posso Salvar o mundo. Mas quem disse que quero Salvar o Mundo? Na verdade não haverá uma revolução no mundo sem antes acontecer com você. Ai entra meu papel. Quando escolhi geografia, não escolhi por preguiça ou por achar mais fácil de passar, mas por seu papel na sociedade. Infelizmente vale aqui destacar que os ditos geógrafos estão cada vez mais se aproximando novamente apenas do interesse por salários ou por prestigio, voltando suas pesquisas apenas de carater técnicos e nada transformantes da realidade social. Digo aqui novamente para quem leu o livro aqui postado (na seguinte postagem: Link). Se não o leu leia.
Dai tiro uma pergunta por que você escolheu sua profissão? Apenas para ganhar um bom salário e se manter. Se a resposta for sim, Então meus parabéns, você será mais um inútil na transformação dessa sociedade. E mais, tenho boas noticias para você, você cada vez mais se tornará insensivel para com os outros se preocupando apenas com seus interesse.
Talvez você ache isso conveniente, mas vamos bater um papo serio, você quando escolhe sua profissão apenas por um salario ou apenas por gostar dela, sem ver ou imaginar como você ajudará aos outros com a mesma, está fazendo exatamente o que o sistema está querendo que você faça, logo mais uma vez você está sendo manipulado.
Quantos anos mais reclamaremos dessa sociedade e não faremos nada? Bem quem escolherá quando fazer uma coisa ou não é você pois eu já tento fazer minha parte.
Sou Professor de Geografia, meu objectivo não é ensinar ele ler um mapa, mas saber primeiramente para que um mapa serve de verdade. Não ensinarei apenas por ensinar, mas tentarei junto como meus alunos a despertar pensamentos críticos que transformem essa sociedade.
Aos dois grupos deixo uma citação do Geógrafo Anarquista Élisée Reclus.
Primeiramente a o primeiro grupo que esperam sentados.

"Falam bem do progresso em termos gerais, mas rejeitam o progresso em particular. Acham a que a sociedade atual, ruim como ela é, e como eles proprios comprovam, deve ser conservada; basta-lhe que ela realize o ideal deles: riqueza, poder, consideração, bem-estar." "Eles a evocam e conjura ao mesmo tempo; criticam a sociedade atual e sonham com a sociedade futura como se ela devesse sugir repentinamente, por um tipo de milagre, sem que o mínimo estalido de ruptura produza-se entre o mundo passado e o mundo futuro. Seres incompletos possuem apenas o desejo, sem ter a reflexão; imaginam, mas não sabem absolutamente querer"

Ao segundo grupo que tem coragem de mudar o mundo:
"Eu não falo daqueles que tomaram como objetivos, por sinal excelentes, a reforma ortográfica, a regulamentação da hora ou a mudança do meridiano , ou ainda a supressão do espartilhos ou das barretinas; mas há propagadas bem mais serias, que não se prestam ao ridículo e que exigem de seus protagonistas coragem, perseverança e devotamento. Havendo entre os inovadores retidão perfeita, fervor pelo sacrifico, desprezo pelo perigo, o revolucionario deve-lhes, em troca, respeito."

Não sei em qual dos dois grupos você quer se encaixar, o primeiro que não fará diferença nenhuma em sua exitencia ou querem marcar sua exitencia nesta terra.

Para finalizar deixo vos uma outra frase de um outro autor: "Se um homem não descobriu nada pelo qual morreria, não está pronto para viver." (Martin Luther King)



quarta-feira, 10 de agosto de 2011

Retonando as aulas.

(so coloquei essa imagen estoanteatemente colorida, pois o busão tá tão lotado quanto o Barro macaxeira...)
Não sei se foi notório aos leitores desse Blog, mas eu não falei de ferias, bem pelo menos não quando eu tive. Até por conta que eu não as tive... Fiquei apenas uma semana em casa, pois o resto vim ao laboratório. E o que fiz no período sem aula???
Treinei mais que de costume ( )Sim (x) Não
Li mais livros ( )Sim ( x)Não
Passei o dia todo na guitarra ou na Gaita ( )Sim ( )Não (x) Que piada
Refletir sobre meu futuro ( )Sim ( )Não (x)Ainda não cheguei a uma conclusão

Em fim, novamente não conseguir fazer o que queria ter feito, fora o fato de ter passado as ferias trabalhando no meu artigo, nem me afastar dos livros eu pude.
Estou na minha primeira semana de aula, e já tenho exercícios, para fazer, Textos e livros para ler e o artigo ainda incompleto...
Vantagens: estou com minha noites livres, fora as quartas/sextas
Desvantagens: estou com minha noites livres, fora as quartas/sextas

Não eu não passarei um semestres inteiro sem fazer nada a noite. Planos? Claro que já os tenho. Entrar em aulas de artes marciais, em um grupo de estudo ou passar a noite aqui na federal estudando quando as bibliotecas votarem da greve (é rapaz, para melhorar minha vida nem pegar livro eu posso e o plano de comprar um leitor de e-book está ficando cada vez mais distante...)

Sei que esta postagem é totalmente inútil para sua vida, se leu perdeu tempo, se não leu não importa. Mas se for possível fazer um favor a esse que vos escre... Digita Avisem nos comentários quando tiver eventos Académicos. Pois nesse período estou em uma matricula que preciso pelo menos assistir 10 eventos, desde já agradeço.

terça-feira, 2 de agosto de 2011

Maquinas Humanas


Como vai sua humanidade?
Todos os dias estamos cada vez mais nos modificando, mas muitas das vezes essas modificações não são beneficentes, estamos cada vez diminuindo a nossa capacidade de pensar e nos acomodando com os pensamentos dos outros, ficando assim mais sucetiveis. Desde pequeno deveríamos ser estimulados a pensar, mas em vez disso somos estimulados apenas a reproduzir o que já foi descoberto ou pensado por outros. Mecânicamente vamos sempre ao trabalho/escola pelos mesmos caminhos, não por só existir um caminho, mas por ser mais cómodo ir por ele. A classe de trabalho que vem crescendo e sendo mais bem paga hoje em dia não é as que inovam ou que ajudam as pessoas a pensarem, mas as que trabalham repetindo as mesmas funções (O tecnismo ta ai para provar). Cada vez mais nos afastamos das pessoas, nos relacionamos apenas através de um celular, ou de um computador, cada vez mais nos tornamos egoístas por isso. Está tudo em uma cadeia que nos levar a perdemos a humanidade e agirmos como maquinas, Frias e sem sentimentos.
As pessoas estão morrendo de fome, mas nosso pensamento sempre é: Eu tenho meus próprios problemas para me preocupar. Hoje em dia nem os casais se amam, apenas fazem sexo e depois cada um vai para seu lado, não importando se alguém se magoou ou não nesse historia. Os amigos agora vivem desconfiando um do outro, pois nem confiança existe mais. Os parentes são apenas conveniencia, pois ninguém quer mais suportar ninguém.
Tudo isso acontecendo e no cenário politico cada vez mais é comum falarmos de roubo e corrupção, mas como estamos preocupados com nosso dia-a-dia não nos preocupamos em cuidar do nosso pais (Não falo de pátria, pois sou contra patriotismo, mas das pessoas e das condições do pais) e não percebemos que são nossos dirigentes de mão dadas aos grades Empresários que estão impondo esse estilo de vida medíocre para nós. Minha pergunta é Até quando vamos ficar nessa?