quarta-feira, 26 de dezembro de 2012

Um conto.

Já faz algum tempo que não tento escrever ou criar nada, essa noite, deixo esse conto que já me inquietava na cabeça, confesso que a ideia original seria de uma Historia em quadrinho, mas de alguma forma tinha que ir para o papel. Como a maioria dos meus escritos, não tem titulo.


   Ela desceu vagarosamente do ônibus, se despedindo das amigas, tinha sido uma festa realmente boa, a ponto de esquecer completamente da hora, saiu de lá quase umas 3h da madrugada.
   Assim que ela desceu, e o ultimo ônibus que passava por ali se fora, percebeu que a rua estava estranhamente vazia e singularmente escura, mas ouvia passas se aproximando. Ela não quis esperar para ver, pensou logo consigo mesma, que esse horário não é muito seguro para uma mulher bonita, sim ela tinha noção da beleza que possuía em seus plenos vinte três anos, andar sozinha e que ser assaltada poderia ser o mínimo que poderia acontecer.
   Apressou então seus passos, mas não para sua surpresa, mas sim para o seu desespero, percebeu que os passos também aumentaram seu ritmo.
   Nunca ela se arrependeu tanto de ter alugado um apartamento longe da parada de ônibus, na verdade não era nem tão longe, menos de 5 minutos estaria lá, mas os segundos pareciam durar horas.  Olhara rapidamente para trás, viu apenas uma silhueta de um homem de camisa aberta, voando ao vento e de boné, o fato de está de boné aumentava seu medo, pois imaginava que era alguém que queria esconder seu rosto.
            Decidiu então correr, se ela conseguisse ao menos chegar ao portão do seu prédio, poderia ao menos pedir ajuda a um porteiro. Quanto mais ela corria, mais ela ganhava esperança, mas o sapato que usará para a festa acabou lhe traindo, fazendo ir ao chão, para sua surpresa, quando se levantou percebeu que não era mais seguida.
            Logo estava de pé e decidiu continuar correndo, estava finalmente chegando a sua rua, quando virou a esquina, acabou esbarrando em um homem, pensou em gritar, mas o homem colocou a mão em sua boca e disse-lhe:
            -Calma garota. Não precisamos acordar a vizinhança toda. – Ele percebeu o quanto ela tremia e foi tirando a mão da boca dela – Alguma coisa errada?
-Achei que estava sendo perseguida por alguém, mas talvez tenha sido apenas minha imaginação. – Ela lhe respondeu

-Realmente não é seguro, para uma mulher andar sozinha essas horas, você mora perto?

-creio que para ninguém mais é, e você? o que taria fazendo na rua?

-Tenho insônia, decidi então trazer o lixo para fora, moro logo ali naquele prédio. Mas se quiser posso acompanha-la

   Ela ainda estava meio relutante, mas decidiu aceitar, afinal quando estivesse em casa, nada mais temeria. A poucos metros encontrava seu apartamento, para seu desapontamento o porteiro não estava na guarita, usou sua chave, apesar de recusar e dizer que não era necessário, ela foi acompanhada até  a porta de seu apartamento.

-poderia me dar um copo d’água? Esse calor está cada vez mais infernal. – Perguntou-lhe
-Claro, é o mínimo que poderia fazer – falou e logo após entrou em seu apartamento para trazer a água.
Enquanto entrava, o estranho simpático, desabotoou um botão de sua camisa, e removeu um singelo boné do seu bolso de trás da calça, enquanto em sua mente, fervilhava de como se deliciaria, com sua mais nova vitima, entrando no apartamento, fechando a porta atrás de si.  

quinta-feira, 6 de dezembro de 2012

A Herança Valdemar



Em busca de filmes baseado em H.P Lovecraft (Howard Phillips - Não confundi H.P Lovecraft com um bruxinho please, pois já me perguntaram por que eu colocava tanta coisa sobre o fedelho no facebook da vida...), autor esse que apresenta uma obras incríveis e de extrema qualidade. Encontro o filme A Herança Valdemar, dos anos de 2010/2011 partidos em duas partes. Confesso que por ser um filme relativamente novo, quem em conhece sabe que costumo assistir filmes de terror, basicamente da década de 80 para baixo, no máximo alguns de 90, normalmente os mais recentes para mim não tem mais a essência de um bom filme de terror, (claro que existe exerções). Outro ponto, que para mim não é negativo é até bom, é o filme ser espanhol (vamos fugir um pouco dos parâmetros norte americanos de fazer cinema), mas achei que não teria muito coisa. Enganei-me novamente, no filme temos um suspense que lembrou um pouco Lovecraft, mas vários pontos que fiquei pulando na cadeira quando citados (SPOLIER a segui): Primeiro foi a aparição de ninguem mais ninguem menos que Aleister Crowley (se não sabe quem é vá na Wikipedia), Citando um ritual de Dunwich (pulei de alegria na cadeira novamente) então ele trás para junto de si, Bram Stoker (UAU), durante o livro vemos o Necronomicom e quem aparece atras dele??? O próprio Lovecraft. Durante um ritual de invocação Comem tarantulas de Ismouth (HAHA) e depois o ilustre (mas pequeno no filme) Cthulhu. Bem me surpreendi com a historia do filme que faz o jogo de mostrar o presente e o passado, sendo o primeiro filme quase todo no passado, mostrando a historia da Mansão Valdemar e o segundo dando o prosseguimento da historia no presente. Não irei colocar os links do filme, mas recomendo o site:  Adoro Filmes de Terror


Como falado pelo nome do blog, esse é meu mundo louco, vc não precisa concordar com tudo que falo, na verdade podes discordar de tudo, achar que os filmes bostas de hj são obras primas, ou que tenho péssimo gosto, já li muita coisa falando mal desse filme, mas achei ele como uma joia entre tanta porcaria que é lançada todos os dias.

segunda-feira, 5 de novembro de 2012

Necronomicom e a Caixa Cenobites


O blog está voltando hoje, como novas colunas, e algumas antigas, como estou desempregado e não mais estudando (vida de formado não ta fácil) então tentarei postar alguma coisa todos os dias, agora me intrometerei em Literatura, Jogos, Cinema, Rpg e continuarei com o as colunas de Musica, Cristianismo e quando tiver uma paciência e inspiração, tentarei trazer reflexões.

Para retorno vamos falar um pouco de umas certas semelhanças que vejo na obra de Cliver Baker, a obra especifica Hellraiser, com a mitologia criada por Lovecraft. Logico que não sou o único de perceber a possível inspiração que Baker te
ve em Lovecraft, mas o fato que me prendo são são os objetos do Necronomicom (o livro dos mortos criado por Abdulal Hazred... digo Lovecraft) e a Caixa da obra Hellraiser. Ambas são capazes de trazer e levar seres por dimensões, curar, ressuscitar, o fato de vermos em hellraiser um ser tomando a forma de outro humano que vemos em Lovercraft também é marcante, além da marca de se desvencilhar da religião "terrena" indo para algo mais Cósmico. Em nenhum momento estou falando que Baker plagiou nada, só estou aqui referindo a inspirações, fato que criação as vezes são apenas recriações de algo que ouvimos, vimos ou lemos. Atualizamos, damos nossa visão. Muto do que se diz novidade hoje em dia já foi criado ou pensando antes por alguém. E as vezes é só o uso de lendas ou conhecimento de uma sociedade já esquecidos.
Necronomicom e a Caixa

Outra semelhança que trago, já discutido na própria revista Berserk, são a dos cenobites e as mãos divinas, não só a aparência  mas o fato de serem invocados em certos momentos trazendo agonia e dor. Abaixo deixo a imagem de ambos, para que se tirem suas conclusões. Também deixo os links do Necronomicom em português para quem tiver interesse, dos contos de Lovecraft e a caixa para montar...
(agora é com vcs, comentem e deem suas opiniões.)



Cenobites (Hellraiser)
Mãos Divinas (Berserk)

Necronomicom
Contos
Caixa

segunda-feira, 20 de fevereiro de 2012

Um Cinema no carnaval

          Infelizmente esse ano não pude ir acampar junto com minha igreja, motivo, Bem eu poderia mentir aqui dizendo que foi falta de condições, mas na verdade sendo sincero, não me agradou o local... Fora que muitos acamps me cansam de ver os crentes furando fila, os crentes puxando discussão gospel por besteira (como uma demora no banho) fora muita coisa que não vale a pena sitar (uma vantagem/desvantagem é que você acaba conhecendo um pouco mais seu irmão, pois segurar uma mascara durante 2h de culto é fácil, mas 4 dias direto com ele, ou ele mostra quem é ou é um grande artista). Não sendo hipócrita, mas para falar a verdade não gosto de Acampamentos prefiro a palavra retiro espiritual, pois o melhor mesmo é a presença de Deus e você tentar buscar comunhão junto com seus irmão durante quase 4 dias (se fui redundante no final da frase avisem) Cara sempre é bom o renovo, mas Sou ciente que devemos buscar o renovo onde estivermos, não esperarmos um acampamento para nos concertarmos. Em fim como não fui, deu para aproveitar o tempo, com Treino no sábado a tarde (na chuva... gotoso) Passei um dia na casa do meu pai (onde recuperei minha leitura atrasada além de reasistir Rocky 1) e por fim, ontem 20/02, fui ao cinema, infelizmente só por conta que, bem eu mesmo ainda não sei, (indereta paras as pessoas que estavam marcando para irmos) não assistir o filme que queria, cheguei lá na hora da sessão e tinha que comprar o ingresso, acabei escolhendo o horrendo Motoqueiro fantasma 3d (tédio) detalhe faltava 2h e meia para o filme começar, há vamos na livraria... Fechada, o que fazer nesse tempo? Inventei de lanchar, não sei pq mas me lembrei de um discussão de que veio primeiro Satriani ou Vai (discussão que me lembro de perder...Shit) e depois de molejo (amarrado, repreendido, destruído), terminando esse lanche fui bater perna em um shoping quase todo fechado... tédio ao estremo, quando terminei de ver tudo faltava ainda 1h30m, fui para o game (ponto mais alto da noite) joguei Guitar Hero (kiss - Rock Roll all night) depois acabei achando o maravilhoso Fliper de TEKKEN TAG (gastei duas fichas...) Mas zerei. Olhei o relogio ate tinha passado um certo tempinho mas dava para outra musica (ia escolher Sex pistols Anarch in UK- para ser mais saudosista) mas achei uma musica de Steve Vai (custou mais credito por ser musica especial, mas estamos falando do mestre VAI) joguei e fui para a fila do cinema (Resumo: não Asssiti o filme todo, tava bocejando de terídio e cuculei mal a hora de voltar para casa) Achei o filme horrível, o primeiro é BEM, mas BEM melhor que essa porcaria de continuação, mal feita, efeitos especiais Horríveis e decepicionates para quem conhece o personagem (mas sobre isso veja o post sobre adaptações) Ai você me pergunta, foi assistir pq, por conta do ator Christopher Lambert (o qual gosto por conta de Highlander) que nesse horror de filme só aparece duas cenas e morrer (se não gostou do spolier morra) Hoje vou para casa dos meus avôs que é o melhor que faço. 

PS: Nunca mais pisar em um shopping desacompanhado da guria (nem amigos me levam mais) Perca de tempo e dinheiro. (principalmente o segundo)

Comentário de Kazuya Sobre o filme "Pathetic"